Atualidade

O Dia da Mulher é mais do que fazer jantares e receber flores

8 Março, 2020

Todas comemoramos o Dia da Mulher. Mas há uma história associada a este dia e que não é assim tão feliz.

Em Portugal, o dia da Mulher é comemorado com jantares ou almoços em ambiente de muita festa.

O que diz a história do dia da Mulher:

No dia 8 de março de 1857, as trabalhadoras de uma indústria têxtil de Nova Iorque fizerem greve para conseguirem melhores condições de trabalho e igualdades de direitos para as mulheres.

Mas nem tudo correu bem, o movimento foi reprimido com violência pela polícia.

Anos depois, a 8 de março de 1908, trabalhadoras do comércio de agulhas de Nova Iorque, fizeram uma manifestação para lembrar o movimento de 1857 e exigir o voto feminino e o fim do trabalho infantil. Mas este movimento também foi reprimido pela polícia.

A 25 de março de 1911, cerca de 145 trabalhadores (maioria mulheres) morreram queimados num incêndio numa fábrica de tecidos em Nova Iorque. O acidente aconteceu devido às precárias condições de segurança no local.

E por isso houve várias mudanças nas leis trabalhistas e de segurança de trabalho, gerando melhores condições para os trabalhadores norte-americanos.

Mas só em 1910, numa conferência na Dinamarca, é que ficou decidido que o 8 de março seria “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem ao movimento pelos direitos das mulheres e como forma de obter apoio internacional para a luta a favor do sufrágio universal, que daria o direito de voto à mulher.

Contudo, só em 1975, durante o Ano Internacional da Mulher, é que a ONU (Organização das Nações Unidas) passou a celebrar o Dia Internacional da Mulher a 8 de março.

Qual o objetivos da data

Para muitas das mulheres o 8 de março é apenas um dia em que recebem uma flor, desejam um feliz Dia da Mulher, ou são mais mimadas pelos homens. Mas o dia da mulher é muito mais do que isso.

Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões com o objetivo de discutir o papel da mulher na sociedade atual.

A ideia é tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher. Ainda há muita desigualdade de género em muito locais, com salários baixos, violência masculina, excesso de trabalho e desvantagens na carreira profissional.

Mime-se

Porquê esperar por presentes neste dia se os pode oferecer a si mesma? Neste Dia Internacional da Mulher, como no resto do ano, mime-se.

Texto: Ana Lúcia Sousa

Siga a Revista Maria no Instagram

partilhar | 2 | 0

 
Top